Ativistas criam Comitê UFMG da Frente Brasil Popular

Uma noite de quinta-feira cheia de ações políticas voltadas para pensar iniciativas em prol da volta da normalidade democrática. Uma delas, realizada na D.A.Fafich, reuniu e compôs o Comité UFMG da Frente Brasil Popular cujo objetivo é construir um projeto popular para o Brasil através do Congresso do Povo. A iniciativa vai propor à população brasileira um diálogo permanente sobre a situação política do país e, principalmente, ouvir os problemas que afligem as localidades e seus moradores, em todos os estados da federação, de forma horizontal.

Na sede do Diretório Acadêmico Idalísio Aranha, ex-estudante de Psicologia da UFMG que atuou no movimento estudantil e foi assassinado pela Ditadura Militar, em 1972, estiveram presentes o Levante Popular da Juventude, Unegro, Sindifes, Articulação de Esquerda e Kizomba.

O Comité UFMG da Frente Brasil Popular aprovou uma série de agendas de lutas sociais na universidade, entre elas a campanha Lula livre, pela volta da democracia e contra as retiradas de direitos sociais, principalmente contra o sucateamento da universidade pública.