Educadores/as que se manifestam na BR 381, em Igarapé, são agredidos pela PM com balas de borracha, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo

Um forte aparato policial tenta impedir o movimento dos/as trabalhadores/as em educação que se manifestam neste dia de atos regionais, na cidade de Igarapé, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os profissionais em educação estão em greve desde o dia 8 de março e cobram do governador Fernando Pimentel o pagamento do Piso Salarial e do 13o salário, o cumprimento dos acordos assinados, o fim do parcelamento dos salários, ipsemg de qualidade e nomeações de concurso público.

De acordo com o diretor estadual do Sind-UTE/MG e coordenador da Subsede Betim, Luiz Fernando de Souza Oliveira, a situação beira ao absurdo e jamais fora registrada nas manifestações que as educadoras e educadores fizeram na região.

“Estamos sendo atacados pela PM apenas porque tentamos dialogar com a sociedade sobre os motivos da greve, que aqui em Igarapé atinge 100% das escolas estaduais. Queremos dizer aos pais, mães e aos nossos estudantes porque precisamos radicalizar o movimento. Não há motivo nenhum para que a Polícia Militar nos trate assim, com tamanha força e violência. Aqui a maioria são mulheres e pessoas idosas”, relata o diretor do Sind-UTE/MG.

A concentração começou logo cedo, na Praça Matriz de Igarapé e saiu em direção às margens das BR/381. Há informações de que o ataque da PM teve início logo quando o movimento se iniciou e há, inclusive, manifestantes levados para a UPA de Igarapé onde estão sendo atendidos agora.

Pedido de Audiência Pública na ALMG

A pedido do Sind-UTE/MG, o deputado estadual, Rogério Correia, 1o Secretário da Mesa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, apresentou um requerimento solicitando uma audiência pública na Comissão de Direitos Humanos, “para debater a ação truculenta da Polícia Militar de Minas Gerais durante ato pacífico dos trabalhadores em educação na manhã do dia 28 de março de 2018, na Rodovia Fernão Dias, altura do município de Igaparé.” Diz ainda o requerimento: “há relatos de que a polícia agiu de forma abusiva, com uso de força desproporcional e utilização de balas de borracha, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo, ferindo diversos manifestantes.”

Sind-UTE/MG – Asssessoria de Imprensa/Vídeos: StudiumEficaz

Educadores/as que se manifestam na BR 381, em Igarapé, são agredidos pela PM com balas de borracha, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo 1
28/03/18 – Maria Coeli Bitarães – professora aposentada – diretora estadual do Sind-UTE/MG uma das pessoas agredidas pela PM na manifestação

Educadores/as que se manifestam na BR 381, em Igarapé, são agredidos pela PM com balas de borracha, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo 2
28/03/18 – professor César Augusto – Betim – outro manifestante agredido pela PM durante a manifestação

Educadores/as que se manifestam na BR 381, em Igarapé, são agredidos pela PM com balas de borracha, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo 3
28/03/18 – Manifestantes em Igarapé

Educadores/as que se manifestam na BR 381, em Igarapé, são agredidos pela PM com balas de borracha, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo 4
28/03/18 – Manifestantes em Igarapé

Educadores/as que se manifestam na BR 381, em Igarapé, são agredidos pela PM com balas de borracha, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo 5
28/03/18 – Manifestantes em Igarapé

Click e veja VT da manifestação: https://youtu.be/ZU-antazQQg
Fotos: Gilson Carvalho – Sind-UTE/MG

Free Download WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
Premium WordPress Themes Download
Premium WordPress Themes Download
online free course

Disponível em <https://sindifes.org.br/tae-do-cefet-mg-realizam-assembleia-para-aprovarem-a-participacao-no-atos-dos-dias-30-5-e-14-6/> Acesso: 25/05/2019 às 09:03