MP do Trabalho não expedirá mais TAC

Segundo José Augusto, do FST, o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) é um verdadeiro desastre para sindicatos de trabalhadores do País. O TAC tem causado muitos transtornos financeiros às entidades

 

Durante a reunião realizada, na última quinta-feira (10), na sede do Ministério Público do Trabalho, em Brasília, com o movimento sindical brasileiro, foi debatido o tema contribuição assistencial/negocial, tendo os representantes sindicais ali presentes afirmado que o famigerado TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) não será assinado.

 

Na opinião do Coordenador do FST Nacional José Augusto, tal procedimento (TAC) é um verdadeiro desastre para os sindicatos de trabalhadores de todo País.

 

Nova reunião está marcada para o próximo dia 2 de março, quando serão analisados os seguintes temas:

 

1) Desconto assistencial/taxa negocial;

 

2) Interditos proibitórios;

 

3) Representação dos trabalhadores nas empresas com mais de 200 empregados – dispositivo da Constituição ainda não regulamentado;

 

4) Práticas antisindicais; e

 

5) Estabilidade de dirigentes sindicais.

 

TAC: o que é

É um Instrumento extrajudicial por meio do qual as partes se comprometem, perante os promotores de Justiça e procuradores da República, a cumprir determinadas condições , sobre um assunto específico.

 

Neste caso, trata-se da cobrança, pelos sindicatos de trabalhadores, da taxa ou contribuição assistencial, que o MPT não permite que seja feita aos trabalhadores não associados aos sindicatos.


Disponível em <https://sindifes.org.br/sindifes-convoca-tae-de-bh-para-participaram-da-v-conferencia-municipal-de-promocao-a-igualdade-racial/> Acesso: 02/12/2022 às 10:36