TAE da UFMG e CEFET-MG deflagram Greve por Recomposição Salarial Emergencial e contra os Cortes da Educação

Os Trabalhadores e Trabalhadoras Técnico-Administrativos em Educação da UFMG e do CEFET-MG deflagraram Greve, por tempo indeterminado, em assembleias nesta quarta-feira, dia 1º de junho. A Categoria exige a Recomposição Salarial Emergencial de 19,99%, o que reduziria as perdas inflacionárias dos últimos anos que chegam a 40%, e o fim dos cortes na Educação, sendo o último corte de 14,5% deixando a UFMG, por exemplo, com orçamento igual ao de 2008 (14 anos de retrocesso).

A base da UFMG realizou assembleia nesta manhã, na Escadaria da Reitoria, no Campus Pampulha. Após uma avaliação, a Categoria aprovou por ampla maioria a deflagração da Greve (somente três votos contrários e uma abstenção). Cerca de 300 trabalhadores e trabalhadoras estiveram presentes. A Greve começa a partir de hoje (1).

Os TAE do CEFET-MG realizaram a Assembleia no período da tarde, no campus I, em Belo Horizonte. A Greve foi aprovada por ampla maioria, sendo 27 votos a favor do movimento paredista, um voto contrário e duas abstenções. O movimento paredista começa na próxima segunda, dia 6.

Orientações e reuniões do Comando de Greve

O Comando de Greve Geral do SINDIFES se reunirá, nesta quinta-feira, dia 2 de junho, às 14h, na casa do Sindicato (Alameda das Princesas, 1275, Pampulha). A reunião é aberta a todas e todos da Categoria. Nesta reunião serão discutidas e aprovadas as orientações gerais e a pauta do movimento.

No CEFET-MG a Categoria aprovou que a reunião do Comando Local de Greve fosse feita, imediatamente após a Assembleia.

Informações pelo email [email protected] (Questões Gerais e da UFMG), [email protected] (Questões específicas do CEFET-MG).

 


Disponível em <https://sindifes.org.br/sindifes-participa-de-debate-sobre-democracia-na-universidade-relacao-ensino-pesquisa-e-extensao-nesta-segunda-durante-a-semana-do-servidor/> Acesso: 02/12/2022 às 09:04