NOTA DE REPÚDIO CONTRA AS AÇÕES ANTIDEMOCRÁTICAS DO REITOR INTERVENTOR DA UFVJM, JANIR ALVES SOARES

As diretorias do Sindicato dos Docentes da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (ADUFVJM/Seção Sindical do ANDES-SN), do Sindicato dos Trabalhadores nas Instituições Federais de Ensino (SINDIFES) e do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFVJM vêm a público repudiar veementemente a PARTICIPAÇÃO DO REITOR INTERVENTOR DA UFVJM, JANIR ALVES SOARES, EM AÇÕES ANTIDEMOCRÁTICAS E ILEGAIS EM DIAMANTINA, MINAS GERAIS, assumindo iniciativas golpistas e criminosas perpetradas pela extrema direita fascista no Brasil, na tentativa de desestabilizar o país, insistindo em não reconhecer o resultado democrático das urnas na eleição do dia 30 de outubro último, que deu a vitória ao candidato Luiz Inácio Lula da Silva para a presidência da República, a partir do ano de 2023.

A direita fascista tem representantes em todo o território brasileiro, e particularmente na cidade de Diamantina, no interior de Minas Gerais, está o citado dirigente máximo de uma INSTITUIÇÃO FEDERAL DE ENSINO, um órgão do ESTADO BRASILEIRO. O referido dirigente, na tarde da terça-feira, dia 1º de novembro de 2022, juntamente como outros baderneiros do movimento fascista, fecharam a rodovia de acesso à cidade, inconformados com o resultado das eleições presidenciais, se posicionando contra a legitimidade do pleito eleitoral que elegeu Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República, e pedindo intervenção federal, em um ato claramente antiético, antidemocrático, ilegítimo e ilegal, totalmente contrário ao disposto na Constituição Federal Brasileira, a Carta Magna desta nação promulgada em 1988.

O dirigente fascista teve o desplante de protocolar um documento junto ao 3º. Batalhão da Política Militar de Minas Gerais (PMMG) PEDINDO APOIO PARA O BLOQUEIO DA BR 367! E não satisfeito com as ilegalidades solicitadas, ainda atacou o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, proferindo impropérios e repetindo mentiras e calúnias sobre o próximo mandatário da nação brasileira! As arbitrariedades propostas pelo reitor fascista estão, inclusive, veiculadas no Jornal O Estado de Minas on-line do dia 01/11/2022, sob o título “Reitor de universidade mineira pede apoio da PMMG para bloqueio de estrada”. Isso ocorreu mesmo após o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) ter determinado que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e as polícias militares dos estados desbloqueassem todas as vias públicas interditadas. O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, também havia se pronunciado sobre os bloqueios em rodovias mineiras, enviando forças de segurança para interromper as interdições parciais ou totais. Portanto, o reitor fascista incorreu em vários crimes, aos quais ele deverá responder em instâncias judiciais pertinentes.

Entretanto, cumpre dizer que não surpreende à comunidade universitária e tampouco à sociedade do município de Diamantina a presença de JANIR ALVES SOARES na coordenação das referidas ações, tendo em vista que ele é um interventor de Jair Bolsonaro na UFVJM, que aceitou assumir, no ano de 2019, o cargo de reitor, mesmo tendo perdido as eleições e ficado em 4º lugar, com apenas 6% dos votos da comunidade universitária. Com isso, aceitou também prejudicar a instituição, a comunidade universitária e todo processo democrático que existe na UFVJM. É importante que a legalidade seja reestabelecida e o mandato de reitor seja, urgentemente, devolvido a quem de fato e de direito foi eleito no pleito interno da universidade, o professor Gilciano Saraiva. O interventor fascista, JANIR ALVES SOARES, para além de uma gestão marcada pelo autoritarismo, racismo, homofobia, misoginia, perseguição a professores, técnicos e
estudantes, na sexta-feira, dia 28 de outubro de 2022, postou em suas redes sociais vídeos em que, na condição de reitor da Instituição, atacou a candidatura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em uma tentativa desesperada de beneficiar seu “padrinho” Bolsonaro. Os vídeos demonstram o crime eleitoral praticado pelo interventor e devem ser apurados administrativamente pelo Conselho Universitário da UFVJM e na justiça pelo Ministério Público Federal, bem como nas demais instâncias nas quais as entidades representativas denunciarão o referido cidadão, ocupante ilegítimo do cargo na administração de uma universidade federal.

As entidades que encabeçam esta nota de repúdio receberam inúmeras manifestações dos membros da comunidade universitária (professores, técnico-administrativos e estudantes) indignados com essa atitude antidemocrática do dirigente da UFVJM. A comunidade universitária não corrobora qualquer atitude antidemocrática e manifestamente ilegal do interventor JANIR ALVES SOARES, que nunca representou os referidos segmentos e, por isso, em diversos momentos, já foram manifestadas contrariedade e repúdio às ações autoritárias de sua gestão. Neste sentido, serão tomadas todas as providências cabíveis, sejam políticas, administrativas e jurídicas, necessárias para a derrubada do interventor, que ultrapassou todos os limites éticos e legais.
Dessa forma, conclamamos a comunidade universitária a permanecer vigilante e denunciar o autoritarismo e o golpismo na UFVJM, assim como conclamamos a todos e todas que possuem cargo de confiança que os entreguem, sob pena de ficarem manchados nas suas histórias de vida e de profissionais por coadunarem com uma gestão de extrema direita fascista.

Juntos seguiremos na luta por uma universidade pública, gratuita, laica, de qualidade, socialmente referenciada, antirracista, antimachista, antiLGBTfóbica e anticapacitista.
Abaixo a intervenção e o golpismo na UFVJM! FORA JANIR!
Diamantina, 2 de novembro de 2022


Disponível em <https://sindifes.org.br/a-direcao-do-sindifes-repudia-o-confisco-dos-recursos-das-universidades-e-institutos-federais/> Acesso: 02/12/2022 às 09:57