Informe da reunião com Diretoria do HC no dia 23 de março

Antes do informe sobre a reunião, a direção do SINDIFES esclarece os seguinte pontos:

  • O Sindicato está presente e atuante. Estamos trabalhando e pressionado, de todos os lados, para resguardar a saúde física e mental dos técnico-administrativos em educação. Há, inclusive, plantões presenciais no HC e por telefone;
  • Estamos cobrando e acompanhando a distribuição de EPIs para os setores
  • Estamos pressionando para que a liberação dos trabalhadores que são do grupo de risco seja rápida;
  • o SINDIFES se ofereceu para ajudar na compra de testes de coronavírus, principalmente o rápido, para que todos os trabalhadores possam ser testados;
  • Existe um projeto de redução salarial para os servidores públicos. O texto original foi alterado incluindo políticos e sem os profissionais da área da saúde;

A Direção e o Grupo de Trabalho do SINDIFES participaram, nesta segunda-feira, 23, de reunião com a Diretoria do HC-UFMG, que discutiu os processos que envolvem a crise COVID-19.

1) Impactos do coronavírus no HC e para os trabalhadores

A Diretoria do HC informou que está sendo esvaziando aos poucos os setores – CTI adulto, 3º Leste; 7º Norte; 10º Norte – e os preparando para receberem os pacientes que apresentarem os sintomas do coronavírus. O 3º Sul será ativado para dar suporte a área administrativa do CTI. O 6º sul será ativado para receber os pacientes do 10º Norte. Nos Ambulatórios, os atendimentos aos pacientes serão realizados pela equipe médica e de enfermagem toda paramentada com os devidos EPIs.

Até quarta-feira, 25 de março, a proposta é abrir, no Borges da Costa, um Ambulatório porta aberta para pacientes do HC que não são de cuidado integral e também para os profissionais com suspeita de estarem infectados com o Covid-19. Estes casos serão direcionados a uma equipe que fará avaliação e exames para saberem quais casos tem necessidade de internação. Se não precisar internar, o paciente receberá as orientações e encaminhado para tratamento em casa.

A Diretoria também informou que o HC ainda não tem, neste momento, material para realizar os testes rápidos, nem para os pacientes e nem para os trabalhadores, mas já está realizando a compra. 

O HC está recebendo doações das unidades da própria UFMG, do MPF e de entidades externas para compra de EPIs (máscaras, luvas e óculos) para manutenção do estoque e também para adquirir um quantitativo de testes para, minimamente, testar pacientes e profissionais com suspeita de infecção por coronavírus. Estes testes seriam utilizados até que o Ministério da Saúde receba e distribua o material que foi comprado na China, conforme anunciado pelo Ministro da Saúde. 

2) Treinamentos

A Diretoria informou que já realizou treinamentos em todas as UTIs, no 7º Norte, na Maternidade, Pediatria, Pronto Atendimento e Neonatologia. Os treinamentos foram feitos com grupos menores para criar facilitadores que treinarão o restante das equipes. O problema é que o treinamento começou na segunda-feira, 14 de março, e na quarta, 16, com a expansão do número de casos suspeitos, não foi possível treinar as equipes de todos os setores. A equipe da CCIH está treinando o maior número possível de profissionais, para que os facilitadores treinem as equipes dos diversos turnos. Entretanto, têm ocorrido vários contratempos que estão dificultando o processo. Foi lançado um link, pelo Telessaúde do HC, com orientações quanto aos cuidados para situações onde de casos suspeitos.

Acredita-se que ao longo desta semana, 23 a 27 de março, serão realizados os treinamentos da maioria dos setores. Além disto, os trabalhadores terão acesso a vídeos dos processos de utilização e descartes dos EPIs. 

A Diretoria informou que todos os documentos estão na intranet para que os trabalhadores possam acessar. Existem informações de vários canais, entretanto, devem seguir as estabelecidas oficialmente pelo HC-UFMG.

 

3) Equipamentos de Proteção Individual – EPI

A Diretoria informou que nos lugares aos quais tem pacientes com suspeita do coronavírus estão acontecendo à distribuição de EPIs específicos, como a máscara N95, e que todos os setores terão EPI básico.

O uso da paramentação completa com EPIs, conforme recomendações da OMS, são em condições e áreas específicas, seguindo as melhores evidências da literatura. O HC está oferecendo tudo de acordo com a OMS e não está faltando nada. Os setores que não receberão pacientes com suspeita de infecção por coronavírus irão usar máscaras cirúrgicas, que é comprovadamente eficaz na prevenção de infecção. Nos setores que irão tratar os pacientes infectados e entubados a indicação será do uso da máscara N95.

Alguns trabalhadores estão solicitando equipamentos que não são preconizados ou recomendados nesta fase. É importante que todos vejam as orientações disponibilizadas na intranet para reduzir a tensão e ansiedade. As equipes estão sendo treinadas quanto à paramentação (terapias intensivas e enfermarias que receberão esses pacientes).

A Diretoria afirmou que está muito preocupada com os trabalhadores. Pois aqueles que estão na assistência, podem ser infectados e terão de ser afastados e tratados. Por isso, já afastou os trabalhadores do grupo de risco. Todos os profissionais que formalizaram a necessidade de afastamento e entregaram a documentação já estão tendo as respostas do DAST e do SOST.

A Reitoria e várias unidades acadêmicas, que já estão paradas, tem ajudado o HC e estão mobilizando quanto à disponibilização de materiais como álcool, luvas, máscaras, etc.. 

A Diretoria informou que a distribuição dos EPIs está acontecendo, mas está ocorrendo alguns problemas graves, são eles: 

– utilização de capotes e alguns tipos de máscaras em áreas que não tem indicação pela OMS neste momento;

– uso indiscriminado e desperdício, o que pode aumentar o risco de faltar na hora que realmente precisar, pois os fornecedores não estão disponibilizando os EPIs e quando disponibilizam para a compra estão cobrando valores absurdos;

– extravio de insumos e álcool em gel. As pessoas estão levando para casa ou escondendo nos setores, na insegurança de faltar ou mesmo a não disponibilização para compra em supermercados. O HC tem orientado a todos a importância de não extraviar os insumos que são de uso exclusivo em serviço no HC;

– dificuldades na compra dos insumos. O HC e outros hospitais conseguiram recursos para aquisição, mas não tem onde comprar e quando encontram os valores são altos. Em BH só tem um fornecedor de grande porte. Uma caixa de luvas comprada na semana passada por R$ 4,60 está custando R$ 25 e o fornecedor não entrega, o HC terá que buscar. A caixa de máscara cirúrgica que custava menos de R$ 17,50, passou a custar R$ 234,19.

4) Retorno do Plantão 12/60h

A Diretoria colocou que não pode desobedecer a uma orientação da CGU. Não há como restabelecer os plantões 12h/60h, sem que haja uma orientação do órgão. Estamos trabalhando para que a Secretaria de Gestão de Pessoas faça a mudança da IN 02/2018 e possibilite o plantão.

5) Liberação dos trabalhadores dos grupos de risco

A Diretoria informou que a liberação se dará por meio do DAST e reforçou as informações dadas.

– o DAST está com uma força tarefa para verificação das autodeclarações de saúde dos servidores do HC. O retorno das avaliações serão o mais rápido possível. Os 100 trabalhadores que enviaram até dia 20.03, sexta-feira, terão as respostas 23  ou 24 de março ou, se houver contratempo, até sexta-feira, 27;

– o DAST também está com uma força tarefa para o atendimento remoto. Até sexta-feira foram respondidos mais de 200 e-mails dos servidores do HC;

– a solicitação de encaminhamento de laudo, receitas, atestados para os casos dos servidores com doenças crônicas é para que os médicos possam avaliar, já que a maioria destes não estão registrados no DAST;

– as respostas serão enviadas aos servidores por e-mail com cópia para as chefias e demais que foram indicados pelos trabalhadores;

– e-mails do DAST:

 

A Diretoria se comprometeu a manter as informações atualizadas na intranet e junto ao SINDIFES, pois os informes serão ajustados na medida das demandas e mudanças necessárias conforme evolução da pandemia Covid-19.

 

A Diretoria e o Grupo de Trabalho do SINDIFES estarão atentos a tudo que estiver acontecendo no Hospital das Clínicas, principalmente aos processos de trabalho e de segurança dos trabalhadores. Serão realizados plantões presenciais no HC e atendimentos por telefone.


Disponível em <https://sindifes.org.br/sindifes-solicita-visita-do-coren-mg-ao-hospital-das-clinicas-da-ufmg-para-orientacao-sobre-uso-e-distribuicao-de-epis/> Acesso: 04/04/2020 às 22:37