Nota de repúdio às declarações do ministro Weintraub sobre as universidades federais

A Direção Nacional da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil – FASUBRA Sindical repudia as declarações sobre as universidades federais, do ministro da Educação, Abraham Weintraub, em entrevista ao Jornal da Cidade.

O atual ministro da Educação durante todo o ano de 2019 realizou contingenciamentos/cortes nos orçamentos das universidades federais, demonstrando o seu total desinteresse pela Educação Pública Brasileira.

Na referida entrevista, ataca o princípio constitucional da autonomia universitária, consagrado no art. 207 da CF, incorrendo assim em crime de responsabilidade (art. 4º, “caput”, c/c art. 13, I, Lei 1.079/50), afirmando que as universidades possuem uma “soberania”, “com plantações extensivas de maconha” e “laboratórios de química com desenvolvimento de drogas sintéticas, como a metanfetamina”.

Tais afirmações visam caluniar as universidades federais brasileiras, passando informações inverídicas ao povo brasileiro, uma vez que as universidades públicas são centros de excelência de ensino, pesquisa e extensão, ocupando os primeiros lugares nos rankings nacionais e internacionais de produção de ciência e tecnologia.

A Fasubra Sindical já acionou sua assessoria para avaliar todas as medidas jurídicas possíveis para representar contra o referido ministro da Educação, uma vez que a sua atuação não condiz com a postura esperada de um ministro de Estado, o qual deveria ter uma postura ética e zelar pelo Ensino Público, Gratuito e de Qualidade, em vez de promover ataques infundados às universidades brasileiras.

A Fasubra sindical, com seus mais de 40 anos de luta, seguirá firmemente em defesa da educação pública e gratuita, da democracia e autonomia universitária.

Free Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
Free Download WordPress Themes
free online course

Disponível em <https://sindifes.org.br/nota-de-repudio-as-declaracoes-do-ministro-weintraub-sobre-a-ufmg/> Acesso: 11/12/2019 às 03:39