SINDIFES participa de Seminário sobre Avaliação Desempenho e Desenvolvimento de Pessoas do CEFET-MG

SINDIFES participa de Seminário sobre Avaliação Desempenho e Desenvolvimento de Pessoas do CEFET-MG 1

A Direção do SINDIFES marcou presença no Seminário sobre Avaliação de Desempenho e Desenvolvimento de Pessoas do CEFET-MG, realizado no último dia 22 de novembro, no Auditório Principal do Campus I. O encontro contou com a participação da Coordenadora Geral do SINDIFES e da FASUBRA Sindical, Cristina del Papa, juntamente com o presidente do SINDICEFET-MG, Adelson Fernandes Moreira, além dos mediadores Nelson Nunes, Técnico-Administrativo em Educação, e o professor Alexander Corrêa dos Santos.

Adelson Fernandes Moreira trouxe à tona uma preocupação central: a avaliação de desempenho não deveria ser um julgamento do trabalho do professor, mas sim uma ferramenta para impulsionar aprendizados contínuos e melhorias profissionais. “Progressão funcional e aquisição de RSC não podem estar atreladas a essa avaliação. Ela deve se concentrar verdadeiramente na formação”, destacou o professor em relação à importância desse processo.

Para ele, a avaliação precisa abranger uma gama de fatores, desde os espaços para capacitação e liberdade de ensino até salários, carreira, condições de trabalho e combate à sobrecarga dos docentes. “A comissão que está responsável por este processo tem um grande desafio pela frente, porque é um tema realmente muito complexo, tem um grande desafio, pois é um tema altamente complexo. A avaliação de desempenho precisa ser sistêmica, ela não pode estar voltada para o professor. Quando pensamos a avaliação de desempenho estamos pensando no trabalho de todos, chefias, diretorias, estudantes e professores”.

Cristina del Papa reforçou o posicionamento do SINDIFES quanto à essência pedagógica da avaliação de desempenho, enfatizando que esta deve avaliar não só o trabalho em si, mas também as condições de trabalho, o ambiente, as ferramentas disponíveis, a saúde mental e a presença ou ausência de assédio. “Não se trata apenas de avaliar o trabalho, mas sim o contexto em que ele é realizado”, explicou Cristina.

A coordenadora destacou ainda a necessidade de institucionalizar as políticas de recursos humanos para garantir sua continuidade independentemente das mudanças de gestão. “Uma política para Técnico-Administrativos só é real se estiver formalizada, aprovada no Conselho Universitário. Se não estiver, cada gestor acaba fazendo o que quer. A política não pode ser apenas uma questão de gestão; precisa ser parte integrante da instituição. Quando um Reitor ou Diretor sai, quem entra deve manter essa política”, ressaltou.

Por fim, Cristina reiterou o compromisso do SINDIFES em colaborar na construção de uma avaliação de desempenho que atenda às necessidades da categoria e da instituição, visando aprimorar as condições de trabalho e promover a capacitação contínua dos colaboradores. O sindicato se coloca à disposição para contribuir com esse processo em prol do desenvolvimento coletivo.


Disponível em <https://sindifes.org.br/live-fasubra-mesa-temporaria-sobre-carreira-22-02/> Acesso: 01/03/2024 às 15:26