FASUBRA Sindical aciona ministro da Educação na Justiça

A FASUBRA Sindical ingressou na Justiça Federal, na quinta-feira (28/11), com interpelação judicial para que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, explique as declarações dadas ao portal “Jornal da Cidade”. Sem provas, ele alegou que as Instituições Federais de Ensino Superior têm “plantações extensivas de maconha” e utilizam os “laboratórios para produção de drogas sintéticas”, “a ponto de precisar de borrifador de agrotóxico”.

Segundo a interpelação, Weintraub fez afirmações potencialmente difamatórias e injuriosas para todos aqueles que pertencem à comunidade universitária brasileira. As afirmações merecem ser devidamente explicadas e comprovadas em face da gravidade dos fatos ali reverberados, especialmente quando se trata de um ministro de Estado.

Para a FASUBRA Sindical, os esclarecimentos são necessários para que se possa buscar eventual reparação judicial coletiva para os técnico-administrativos(as) em educação. É incumbência da Federação “lutar pela manutenção da dignidade dos trabalhadores(as) das Instituições Federais de Ensino Superior”, conforme inciso VIII do art. 3º do Estatuto da entidade, e as declarações genéricas e sem provas ofendem toda a comunidade acadêmica.

Na interpelação a FASUBRA requer que o ministro apresente provas de suas afirmações indicando quais as instituições possuem plantações e laboratórios que produzem drogas, quais são os servidores que praticam tais ilícitos e porque o mesmo não comunicou esses fatos às autoridades policiais e ao Ministério Público Federal para que fizessem as competentes investigações e estancassem tais práticas.

Veja a interpelação na íntegra.

http://fasubra.org.br/wp-content/uploads/2019/12/Interpelac%CC%A7a%CC%83o-Fasubra-x-Min.-Educac%CC%A7a%CC%83o..pdf


Disponível em <https://sindifes.org.br/tae-da-ufmg-aprovam-estado-de-greve-e-inicio-da-mobilizacao-contra-os-ataques-do-governo-bolsonaro-principalmente-a-educacao/> Acesso: 22/02/2020 às 03:22