Assembleia delibera orientações e tarefas para os TAE do HC-UFMG

Em rodada de Assembleias nesta sexta-feira, dia 11 de outubro, os Técnico-Administrativos em Educação do Hospital das Clínicas da UFMG deliberaram criar um Grupo de Trabalho para refutar o relatório da Controladoria Geral da União que orienta mudanças na jornada de trabalho da Categoria e no pagamento do Adicional de Plantão Hospitalar. Para os TAE os auditores desconhecem a realidade da unidade e suas orientações inviabilizam o bom funcionamento do hospital e precarizam a qualidade de vida dos trabalhadores.

Clique aqui para acessar o relatório da CGU.

Para enfrentar a conjuntura foram aprovados os encaminhamentos abaixo:

Orientações

– que os TAE não aceitem entrar nas escalas de 40h, principalmente no noturno.

– que os TAE não são responsáveis por cobrirem os déficits das escalas, principalmente em relação aos plantões do APH. Esta responsabilidade é da EBSERH que é a gestora do HC e está descumprindo o contrato ao não contratar o quantitativo de trabalhadores necessários para o bom funcionamento do Hospital;

– que os TAE são obrigados a cumprirem as normas do COREN sobre o quantitativo de pacientes que podem ser atendidos por profissionais de plantão. Os trabalhadores estão sobrecarregados e sendo obrigados a atenderem um número excessivo de pacientes o que reduz a qualidade dos serviços e coloca a vida dos pacientes em risco, por isto a orientação de não aceitarem demanda superior ao permitido;

– que os trabalhadores, principalmente do período noturno, não aceitem escalas que retirem a jornada de 30h semanais. A CGU não impede este benefício, pois sua realização está dentro do permitido pela legislação;

– que quem optar por não realizar o APH é obrigado a avisar a chefia com no mínimo 48h de antecedência. Solicitamos a máxima atenção para que este prazo seja cumprido, pois isto vai evitar que os demais colegas fiquem sobrecarregados;

Tarefas

– criação de Grupo de Trabalho para analisar e elaborar respostas para refutar as orientações contidas no Relatório de Avaliação da CGU;

– convocar Assembleia para daqui 10 dias para apresentar o relatório do Grupo de Trabalho e discussão sobre a Greve;

– realizar reuniões com o COREN/MG e com o Conselho Municipal de Saúde para colocá-los a par dos acontecimentos;

– realizar reuniões de negociação com a Diretoria e VDTE do HC;

– criar formulário para denúncias dos trabalhadores em relação ao funcionamento ou não dos setores de trabalhos do HC e dos desmandos das chefias, principalmente EBSERH;

– entrar com ações judiciais necessárias;

Em caso de problemas, entre em contato com o Sindicato imediatamente com a Coordenadora Geral do SINDIFES, Cristina del Papa, pelo telefone (31) 99607-2570 (também é whatsapp).


Disponível em <https://sindifes.org.br/sindifes-comunica-sobre-o-possivel-retorno-ao-trabalho-presencial-dos-tae-com-comorbidades-que-foram-beneficiados-por-liminar/> Acesso: 30/11/2021 às 04:02