Nota de repúdio à fala do ministro Guedes sobre os servidores públicos

O SINDIFES, Sindicato dos Trabalhadores nas Instituições Federais de Ensino, e a APUBH, Sindicato dos Professores de Universidade Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco, repudiam veementemente a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, em evento na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas, no qual afirmou que “o servidor público é um parasita”.

Já vimos esse discurso nos governos de Fernando Collor e no de Fernando Henrique Cardoso que nos intitularam de “marajás” e “vagabundos”. O cenário da década de 90 se repete, de forma mais violenta com a ascensão da extrema direita no Brasil com um governo fascista e entreguista.

Não é o primeiro ataque do governo Bolsonaro aos servidores públicos, pois desde o ínicio de seu mandato há uma tentativa sistemática de desqualificar e sucatear o serviço público. Os ataques tem o claro objetivo de jogar a população contra os trabalhadores do setor público com a intenção de angariar apoio para a nefasta reforma administrativa.

A nova reforma do governo de Bolsonaro e Guedes irá precarizar ainda mais os serviços públicos e terá impacto direto na qualidade dos serviços prestados à população. Se os servidores perdem direitos conquistados com muita luta, a população perderá acesso a, principalmente a Educação e a Saúde de qualidade. 

O compromisso de Bolsonaro, Weintraub e Guedes é com o capital e não com os trabalhadores e muito menos com os trabalhadores da Educação..

Não aceitamos ofensas de um economista medíocre que serve aos interesses internacionais e é comandado por um ex-deputado que em 27 anos não produziu nada em benefício dos trabalhadores.

Nossa resposta ao governo será a mobilização e a greve.

18 de março é GREVE!


Disponível em <https://sindifes.org.br/decreto-que-extingue-cargos-do-executivo-sera-analisado-pela-direcao-do-sindifes/> Acesso: 04/04/2020 às 05:27